Seguidores

segunda-feira, 26 de maio de 2008

COMENTÁRIOS SOBRE AS PROVAS DE HISTÓRIA DO BRASIL E GEOGRAFIA-TERCEIRA FASE-CACD 2008

Iniciamos hoje a série de textos de comentários sobre as provas da terceira fase do CACD 2008. Deixo claro que não tenho nenhuma intenção de postar o "gabarito" das provas e que não há nenhum tipo de "inside information" aqui. Apenas expresso minha opinião, faço análises subjetivas e procuro contribuir para a o debate entre os candidatos que se preparam para este e a para os próximos CACD's.

As provas realizadas neste final de semana não surpreenderam. Primeiro, pelo motivo mais óbvio de todos: nunca é surpresa cair qualquer tema que esteja dentro do programa, o candidato tem a obrigação de estar preparado. Segundo, sempre há questões que não são consideradas "temas quentes" que aparecem nas provas, portanto não é surpresa que isso tenha ocorrido mais uma vez(o que reforça o argumento de que o candidato tem a obrigação de dominar ao máximo o programa o concurso).

Ambas a provas mantiveram algumas das características básicas desta fase nos últimos três anos: necessidade de bom conhecimento factual, já que algumas questões exigiam o conhecimento de cronologias e de fatos específicos; capacidade de analítica e argumentativa relativa ao conhecimento desses fatos; capacidade de relação entre fatos e argumentos aparentemente díspares e, mais importante de tudo, conhecimento da abordagem e da linguagem específicas de cada uma das disciplinas. Embora os temas do concurso sejam interdisciplinares e possam aparecer em mais de uma prova, a análise e a linguagem empregadas não são as mesmas e, fundamentalmente, os fatos a serem destacados não são necessariamente os mesmos. Tratar e um tema na prova de geografia como seria tratado na prova de política internacional não garante nota, assim como tratar um tema na prova de história do Brasil como se fosse de política internacional também não. As provas, entretanto, também exigiram do candidato, em questões específicas, respostas mais argumentativas e analíticas que não exigiam base factual representativa. Discutiremos a seguir.

Prova de História do Brasil


Questão 1
Durante o Segundo Reinado, as relações de trabalho no Brasil passaram por diferentes condições sociais e jurídicas, desde o regime de escravidão até o trabalho livre ou assalariado. Discorra sobre a evolução das condições sociais e jurídicas do trabalho no referido período histórico.
Extensão máxima: 90 linhas
(valor: 30 pontos)

A questão 1 deixa explícita no comando a necessidade de abordagem cronológica dos fatos(ainda que não necessariamente seja a única forma de discorrer sobre qualquer processo evolutivo). Seria necessário o conhecimento acerca de fatos importantes que envolvem o trabalhos escravo, a imigração (contratos de parceria e de arrendamento, bem como todas as formas de trabalho servil), trabalhadores livres urbanos, escravos de ganho, estrutura do serviço público, relações de trabalho nos latifúndios (agregados, procuradores), leis relativas ao trabalho escravo (lei do ventre livre, lei dos sexagenários) e abolição da escravatura, somente para dar alguns exemplos. A ênfase, na minha opinião, deveria estar nas transformações das relações de trabalho após a abolição do tráfico de escravos, da lei de terras e do início da imigração desde experiência pioneira do Senador Vergueiro até a abolição da escravatura.. Em 90 linhas não há espaço para tratar de todos esses temas, é claro, mas é evidente a necessidade de citar a analisar os principais fatos relacionados à questão.

Questão 2

O MERCOSUL é a experiência mais importante da política externa brasileira e abriu uma nova etapa em sua formulação e implementação.

O Tratado de Assunção foi assinado em 1991, a partir dos avanços da cooperação entre Brasil e Argentina desenvolvidos desde 1985.

Miriam Gomes Saraiva. As estratégias de cooperação Sul-Sul nos marcos da política externa brasileira de 1993 a 2007. Revista Brasileira de Política Internacional. 50(2), 2007, p. 50.****

Tomando o fragmento acima apenas como referência inicial, redija um texto dissertativo em que sejam abordados os seguintes aspectos relativos à importância que o Brasil atribuiu ao processo histórico de integração sub-regional:
* o peso do MERCOSUL na agenda diplomática nacional, desde suas origens;
2* a ampliação do processo de integração ao longo dos anos.
Extensão máxima:90 linhas
Valor: 30 pontos

A questão 2 exigiu do candidato a capacidade de conjugar, do começo ao fim, o conhecimento factual e a capacidade analítica. Para dissertar sobre a ampliação do processo de integração, é preciso conhecer a cronologia dos fatos (pelo menos os fundamentais) desde os antecedentes que levaram à criação do MERCOSUL até os dias atuais. Para dissertar sobre o peso do MERCOSUL na agenda diplomática do Brasil, é necessário conhecer as diferentes estratégias empregadas pelos últimos governos do país no processo de integração e, ao mesmo tempo, ter capacidade crítica e analítica a respeito dessas estratégias. O tema da questão não é difícil e reflete uma das maiores prioridades da politica externa brasileira atual.


Questão 3
Exponha os principais pontos da Constituição republicana adotada em 1891.
Extensão máxima: 60 linhas(valor: 20 pontos)

Nesta questão, o conhecimento factual era fundamental. Primeiro, para poder expor os "principais pontos", é preciso conhecê-los. Parece óbvio, mas não é. Além de conhecer a Constituição de 1891, é necessário conhecer bem a Constituição de 1824 (e os atos adicionais) a fim de estabelecer as diferença e os contrastes entre as duas Cartas. Sessenta linhas é um espaço curto, por isso acredito que uma exposição concentrada na mudança de sistema e do regime de governo, na extinção do conselho de estado, na autonomia das unidades federativas, na separação entre a igreja e o estado, na participação do legislativo no processo de incorporação de tratados que não tratassem de troca e concessão de territórios e nas diferentes abordagens dos direitos fundamentais conseguirá boa nota. Sem dúvidas, acredito que esta tenha sido a questão que mais assustou os candidatos por ser "inesperada", mas não pode ser considerada "descabida".

Questão 4
Disserte acerca do processo de envolvimento do Brasil na Primeira Guerra Mundial, com ênfase nas razões que, em 1917, levaram o país a rever a posição de neutralidade que mantivera até então.
Extensão máxima: 60 linhas(valor: 20 pontos)

A questão 4 foi, grosso modo, a única questão de história da política exterior do Brasil cobrada na prova (não esqueçamos que os temas de HRIB pós-1945 são de política internacional, não de história, no programa do CACD 2008). O envolvimento do Brasil na Primeira Guerra é tema ainda pouco estudado, além de que a os temas de HRIB da República Velha são muito recorrentes na obra do Prof. Eugênio Garcia, que faz parte da bibliografia indicada para a prova. Sem dúvidas, esta questão foi a que mais exigiu capacidade de análise em comparação do conhecimento factual.

A prova de históra do Brasil parece ter sido bem elaborada e bastante razoável: privilegiou o conhecimento abrangente do programa e a capacidade analítica do candidato, exigiu bom conhecimento factual e, principalmente, evitou a ocorrência de "produção industrial de respostas prontas" mediante a cobrança de temas não tão "quentes"

Prova de Geografia

Questão 1
A lavoura cafeeira foi o objetivo da ocupação de vastas áreas do território brasileiro. Apresente uma cronologia do movimento de expansão dessa cultura, identificando as regiões incorporadas no processo e caracterizando as relações de produção dominantes nos distintos períodos.
Extensão Máxima: 90 linhas
Valor: 30 pontos

A questão 1 de geografia é um excelente exemplo de como os temas do CACD 2008 são interdisciplinares e também da necessidade de bom conhecimento factual. Ao exigir a apresentação de cronologia, a banca dá indícios muito claros de que o "enrolômetro" estará funcionando durante a correção. Para uma boa resposta, seria preciso ter bom conhecimento e história, obviamente. A questão 1 de geografia tem claramente intersecções com a questão 1 da prova de história, especialmente no que concerne à utilização do trabalho escravo, do trabalho servil de do trabalho "livre". A expansão do café a partir do Vale do Paraíba, no RJ, até São Paulo, assim como a exploração extensiva da terra e a produção voltada para exportação também são fatores relevantes. O mais importante, contudo, é que o candidato tenha escapado da armadilha de elaborar uma resposta histórica, que não tenha privilegiado os conceitos, a linguagem e as análises geográficas do tema.

Questão 2
Muitos economistas reconhecem a Índia e a China como as novas “locomotivas” (como se diz comumente no discurso jornalístico) da economia mundial. Estabeleça as semelhanças e diferenças entre os modelos de desenvolvimento desses países, avaliando as vantagens comparativas e competitivas de cada um deles.
Extensão máxima: 90 linhas
Valor: 30 pontos

Aqui temos mais um exemplo de questão interdisciplinar e, principalmente, de armadilha. Aparentemente, a referência a economistas dá indicação da abordagem esperada, assim como a questão poderia ser tema da prova de política internacional. Não nos enganemos. É evidente que a analise de geografia econômica seria a mais adequada e, para bem fazê-la, é necessário o conhecimento de seus conceitos e de sua linguagem. Além disso, seria muito importante não se concentrar somente nos aspectos econômicos estritos do modelo de desenvolvimento de cada país, mas dar ênfase a questões "tipicamente geográficas", como fontes de energia, transportes, inserção econômica internacional e aspectos geopolíticos.

Questão 3
O sistema de transporte no Brasil é composto pelas redes rodoviárias (1.724.929 km de extensão), ferroviária (30.555 km) e hidroviária (cerca de 28.000 km de vias navegáveis). Discorra sobre as principais dificuldades apresentadas para a gestão desse sistema e suas implicações para o chamado “custo Brasil”.
Extensão máxima:60 linhas
Valor: 20 pontos

A questão 3 é um excelente exemplo da conjugação de conhecimento factual e capacidades crítica e analítica. O tema não é difícil, pelo contrário, é de extrema importância, muito debatido e exaustivamente estudado nos livros didáticos mais básicos. O conhecimento das principais vias de transporte já seria suficiente, já que sessenta linhas não dão espaço o bastante para conjugar análise e grande número de informações. Quanto aos problemas de gestão, acredito que o papel das agências reguladoras (ANTT e ANTAQ); o compartilhamento de responsabilidades entre União e estado; a coexistência de estradas concedidas e entradas sob administração pública; o sucateamento do rede ferroviária; a concentração do escoamento da produção no transporte rodoviário e as dificuldades de licenciamento ambiental para a construção de eclusas em hidrovias, por exemplo, configurariam boa resposta.


Questão 4
Até a década de 90 do século passado, a indústria automobilística paulista respondia por cerca de 75% da produção nacional de veículos. Hoje, essa participação corresponde a, aproximadamente, 45%. Considerando-se que a produção de automóveis de São Paulo é a mais alta de todos os tempos, como se explica essa redução?
Extensão máxima: 60 linhas
Valor: 20 pontos

A questão 4 exigia do candidato bom conhecimento do processo de desconcentração industrial que ocorre desde os anos 90 no setor automobilístico. Atualmente, estados como Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia, além de Minas Gerais e Rio de Janeiro(que receberam novas unidades de montadoras), são produtores de automóveis. Alguns aspectos colaterais poderiam ser abordados, como a "guerra fiscal" entre os estados para a instalação de montadoras(Ford saiu do RS para ir para a BA, por exemplo). O bom uso dos conceitos geográficos na análise será fundamental.

Por fim, acredito que as provas foram muito bem elaboradas e e devem selecionar candidatos bem preparados. O nível dos candidatos que chegaram até aqui é alto e a formulação das provas contribuirá para destacar os melhores, tarefa cada vez mais difícil diante do crescente número de candidatos de altíssimo nível de preparação.

Boa sorte a todos e até a semana que vem.

Um comentário:

Talita disse...

Estou me formando na área de tecnologia e curso tradução na Unb... Decidi ingressar para o campo da diplomacia visando a área de TI que é tão importante para o crescimento do país.Este blog tem me ajudado a dar um norte em meus estudos.Gostaria de pedir dicas de bons cursos preparátorios em Brasília.
Att