Seguidores

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

ALGUMAS PALAVRAS DE ESTÍMULO

A confirmação de 26 vagas para o CACD 2011 causou abatimento em muitos candidatos, independentemente do nível de preparação. Não foram poucas as pessoas das quais ouvi a afirmação de que desistiriam, de que com 26 vagas o concurso se tornará impossível, de que agora não tem mais jeito. Esse abatimento é completamente compreensível, muito embora não esteja baseado na análise racional dos fatos.

Acredito que, em primeiro lugar, as pessoas precisam confiar na própria capacidade, no próprio esforço e na preparação que têm desenvolvido para o CACD. A aprovação neste concurso
, seja com 115, seja com 26 vagas, sempre exigiu dos candidatos esforço de grandes proporções, investimento de tempo, de energia e de recursos financeiros em grande escala. A diminuição temporária das vagas (espera-se a aprovação do PL em tramitação na Câmara que cria 400 novas vagas), portanto, deve ser um estímulo para aumentar o esforço, não para diminuí-lo.

Em segundo lugar, há muitas pessoas entres os desistentes em potencial que têm chances concretas de aprovação, pelo menos na primeira fase. Esses "desistentes", se diminuírem o ritmo de estudos em função de desestímulo, prestarão um grande serviço a seus concorrentes, ao abdicarem de lutar verdadeiramente por uma vaga na segunda etapa. Não é o momento de "puxar o freio".

Em terceiro lugar, absolutamente nada indica que haverá redução do número de aprovados na primeira etapa. Os número de trezentos aprovados no TPS será mantido, ao que tudo indica, e aqueles que efetivamente desistirem nada mais farão do que diminuir a concorrência. Sim, muitas pessoas acreditam que o número de candidatos que disputa as 300 vagas é mais ou estável e que o número de inscrições não afeta o resultado, mas eu discordo desse argumento. Numa prova objetiva, a distribuição do número de questões entre as disciplinas afeta diretamente o resultado; além disso, o "fator sorte" influencia de maneira muito mais significativa o resultado. Ninguém é reprovado na véspera, é preciso estudar e fazer o melhor possível.

Gostaria de dizer a todos que se dedicam e que se dedicaram à preparação do CACD que não desistam e não deixam pra trás esse projeto. A dificuldade sempre foi e sempre será grande, não se pode deixar pra trás todo o esforço realizado até agora. Todos, absolutamente todos, são capazes e podem conseguir, varia somente o tamanho do esforço.

Boa sorte a todos e mantenham-se firmes na preparação.

5 comentários:

Bruno disse...

Ótimo post, Mauricio.
Assim como outros candidatos, estou em marcha forçada depois da portaria.

Vc acredita que há alguma possibilidade de chamarem mais candidatos aprovados?. Antes da portaria eu ainda sonhava com umas 40 vagas, pelo menos.

Sei que isso é possível, mas como o Itamaraty nunca improvisa heheh, não de de nada mais.

Andréa K. disse...

Obrigado por essa pequena mensagem a todos que estudamos e vamos atrás do sonho que é servir no Itamaraty. Para quem estava acostumado com um pouquinho mais de 100 vagas, 26 vagas dá até um nó na garganta...

Aproveito e quero perguntar se alguém poderia me informar algo sobre o curso a distância do Curso Atlas. Já mandei vários emails e ninguém me respondeu.

Anônimo disse...

Para Andréa K.

Curso Atlas:
secretaria@cursoatlas.com

Porto Alegre:
Telefone: (51) 3062.7745

Brasília:
Telefone: (61) 3327.0887

Anônimo disse...

Ansioso para saber qual sua opinião sobre o "Guia de Estudos" para o CACD 2011, divulgado há poucos dias. Notou que foi publicado sem a tradicional "bibliografia sugerida"? E agora?

Guillermo Rivera disse...

Tem mais uma coisa: 26 pessoas TÊM de passar. Porque não acreditar que podes ser uma das 26?