Seguidores

sábado, 27 de outubro de 2007

DICAS DE PORTUGUÊS PARA O TPS

Chegamos ao último texto referente a TPS. Mais uma vez, destaco que minhas dicas se baseiam no TPS 2007 e na premissa de que o CESPE continuará realizando as provas. Não se esqueçam de que nenhum dos últimos 7 TPS's foi igual e que poderá haver mudanças. Não negligenciem nenhuma matéria do programa do concurso em função do TPS!

Vamos, então, ao tema principal deste texto, a prova de português.

Acredito que português é uma das poucas matérias do concurso para qual o estudo individual é pouco produtivo. É muito necessário ter um bom professor, que possa esclarecer dúvidas sobre as minúcias e, principalmente, explicar os motivos pelos quais erramos e pelos quais acertamos (muitas vezes acertamos sem saber a razão e em outra oportunidade erramos a mesma questão). Ler gramáticas ajuda pouco e ainda cria uma antipatia crescente pela matéria.

O método mais eficiente para o estudo de português é o de solução de exercícios. O CESPE disponibiliza em sua página centenas de provas dos mais variados concursos públicos. Faça todas quantas forem possíveis. Não importa qual concurso seja, se é de nível médio ou superior ou se tem relação ou não com a carreira do erviço exterior. Tribunais, agências reguladoras, vestibulares, ministério público... As provas do CESPE mantêm um padrão de abordagem, de temas e de formulação de enunciados. Eu mesmo resolvi mais de 100 provas de português do CESPE. A cada dúvida, ia até minha professora discutir e aprender os motivos que basearam o gabarito da banca. Treino até o cansaço é a solução: repetição, absorção e observação dos padrões da prova.

Alguns tópicos são mais difíceis e mais polêmicos, mas são facilmente sanáveis pela adequação aos padrões da prova. Vamos a eles:

1-Pontuação: muitas "cascas de banana" aprecem com o uso de travessão, parênteses e vírgula, muitas vezes o uso misto das três coisas. É importante estudar bem esse tópico, pois é muito recorrente. Numa prova objetiva, sempre é bom lembrar que aquilo que as gramáticas definem como facultativo É CORRETO. Não tenham dúvidas ao marcar a opção. Em questões do tipo "avalie a correção gramatical dos trechos seguintes", o uso dessas "cascas de banana" é MUITO RECORRENTE. O jeito é decorar as minúicas das "regrinhas" e resolver exercícios, pois podem valer os preciosos 0,25 pontos que deixaram 8500 pessoas de fora da segunda fase em 2007;

2-Interpretação de texto: não se trata de algo "ensinável" ou completamente "treinável". O processo cognitivo de cada indivíduo influencia o resultado. É possível, entretanto, reduzir as dificuldades com muita atenção e exercício. Para facilitar, o estudo da diferença entre dedução, inferência e conclusão a partir de um texto é fundamental para evitar erros bobos de interpretação;

3-Regência e concordância: muitos erros comuns são resultantes do uso corrente de algumas expressões na linguagem oral que não estão de acordo com a norma culta. Muita atenção com a concordância e, principalmente, com o uso de preposições;

4-Acentuação: crase, sem dúvidas, é a maior dificuldade nesse tópico. É importante decorar todas as regras de facultatividade e obrigatoriedade do uso, bem como as exceções, para não perder pontos. Em geral são questões difíceis;

5-Nexos lógicos: conjunções e pronomes comumente são difícies, principalmente porque as provas do CESPE pedem que reconheçamos as funções exercidas por uma palavara ("que", por exemplo, pode ser conjunção integrante ou pronome relativo, muita atenção também com o uso do "se"). É importantíssimo conhecer os usos corretos das conjunções, pois na linguagem oral temos diversos vícios de linguagem que nos induzem ao erro quando estamos respondendo uma questão de acordo com a normal culta. MUITO CUIDADO!

Minhas sugestões não são exaustivas, evidentemente. Todo o programa de português deve estar "na ponta da língua", ou da caneta, para se fazer a prova. Tentei apenas esclarecer alguns pontos cruciais das provas de português do CESPE, já que resolvi mais de 100 delas durante a minha preparação. O resultado foi uma elevação na minha média de desempenho que me deixou acima dos 90% de acertos. Português tem correspondido a 20 pontos dos 65 totais nos dois últimos TPS's, um bom desempenho pode ser decisivo na aprovação.

Ufa, demorou, mas terminei a série TPS. A partir do próximo texto voltamos a questões mais gerais.

3 comentários:

Anônimo disse...

Esse modelo de fazer diversas provas de português da Cespe pode ser aplicado nas provas de inglês, quando houver? Serve provas de inglês de vestibular?

leonard christy souza costa disse...

queria saber se vc vai seguir as fases do concurso.... dando dicas, no caso, para a segunda fase.... ou se irá direto para a terceira fase.... A última e decisiva peneira.... estou curioso pelas dicas da terceira, já que a maioria das pessoas sempre dão dicas parecidas nas obras para cada disciplina.... história do brasil, por exemplo..... o que seria acrescentado? Bom, desculpe a ansiedade, vou ficar no aguardo. Aproveito para parabenizar a iniciativa.... dicas de alguém que seguiu as mesmas e foi aprovado são ótimas.
leonard

M-A-C disse...

Não, inglês não seugue o mesmo padrão de português. Primeiro, o inglês dos TPS's do cespe não seguem um padrão claro, todas as provas foram diferentes em nível, abordagem e formato. Segundo, o nível de inglês exigido no CACD é muito superior ao do vestibular, o que não é o caso em português. Compare as provas de português do vestibular da UNb com o TPS e vc verá.
O que se pode dizer é que o ideal é estudar gramática,interpetação de texto resolver exercícos de inglês também, mas se concentrar em solucionar questões de preposição. O cespe parece gostar delas. ;-)
Minha professora particular de inglês se dedicou a criar ela mesma os exercícos, durante 2 anos, pra me preparar. Funcionou!