Seguidores

terça-feira, 16 de outubro de 2007

DICAS DE POLÍTICA INTERNACIONAL PARA O TPS

Estou de volta, caros amigos, depois de um silêncio compulsório causado pelo período de provas no IRBr. Felizmente, ou não, quem me conhece sabe que não duraria muito minha ausência dos debates. Vamos, então, ao que mais nos interessa, a prova de Politica Internacional no TPS.

Eu acredito que PI seja a disciplina mais difícil de se estudar para o TPS. O programa é extenso, tem muitos tópicos de relações bilaterais, muitas questões internacionais contemporâneas, teoria das relações internacionais e muitos pontos do programa coincidem com geografia e história até mesmo na bibliografia indicada.Cuidado meu caros, muito cuidado. O fato de o programa coincidir com outras disciplinas pouco significa. A abordagem de cada uma das disciplinas é muito diferente.

Nunca esqueça de duas premissas fundamentais: a prova é baseada na discussão dos INTERESSES BRASILEIROS e é elaborada pelo CESPE. Dito isso, vamos às dicas de leitura.

1- RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO BRASIL-TEMAS E AGENDAS (Lessa e Altemani): não tenha dúvidas, e a nova bíblia da disciplina. Além de ser editado pela UNB, um dos organizadores é membro da banca. Absolutamente TODOS OS TEMAS estão discutidos ali. Todos os grandes nomes em PI no Brasil publicam artigos na obra. Para que vocês tenham uma ilustração do quão importante é a leitura dessa obra, apenas ela, entre TODA A BIBLIOGRAFIA, faz alguma menção do conceito de "grande oriente médio" (questão de geopolítca na prova de geografia do CACD 2007). Os 2 volumes foram editados depois do TPS e antes da terceira fase em 2007. São indispensáveis, fundamentais, obrigatórios.

2- THE GLOBALIZATION OF WORLD POLITICS(Org. por John Baisley): é, sem dúvida, um manual indispensável. Todos os tópicos indispensáveis em termos de política mundial ali estão contemplados, incluindo teoria. Não há substituto melhor para a ampla bibliografia de TRI indicada, mas que de pouco servirá para uma preparação mais objetiva e bem focada. Para os que não são formados em RI, o livro é um verdadeiro portal dimensional do conhecimento. A indicação do meu amigo Ney Canany foi preciosa quando PI foi inserida n TPS.

3- POLÍTICA INTERNACIONAL CONTEMPORÂNEA(Altemani): uma boa versão sintética da primeira indicação, ajuda muito, mas é insuficiente em si mesma.

A leitura regular do RELNET, dos principais jornais internacionais, do site da ONU, dos discursos do nosso ministro e do nosso presidente são também fundamentais. Mantenha-se informado e atento sobre os mínimos detalhes de todos os temas internacionais. A leitura da Revista de Política Externa também colabora para a compressão de diversos temas estratégicos.

Acho que com essas indicações é possível fazer um bom TPS em PI. Parece muito? Ninguém disse que seria fácil, disse?

PS: antes que eu esqueça, a prova de PI do concurso do TCU, disponível no site do CESPE, é uma excelente e segura indicação da tendência da banca que a elabora.

Agora sim, por hoje é só, pessoal!

7 comentários:

Ricardo disse...

M.A.C.,

Qual a exata importância de se estudar TRI? Cai alguma questão direta sobre TRI ou é importante apenas para se diferenciar dos outros candidatos nas respostas?

M-A-C disse...

Este ano caiu no TPS.
Não esqueça, esse é um texto sobre o TPS.
Pode cair qualquer ponto do programa, qualquer um. É melhor estudar.

Anônimo disse...

Mais um excelente texto do rapaz-lógico racional, que andava um pouco sumido...!
PI é sem dúvida a matéria mais difícil de se estudar para o concurso. Não basta ler apenas jornal, tal como não basta ler apenas a bibliografia. As fontes de pesquisa de PI são muito variadas, o que confunde a estratégia de estudo. Seu texto fornece dicas importante que podem disseminar a "cortina de fumaça" que confunde a nossa estratégia de estudos para Política Internacional.

Anônimo disse...

onde escrevi "disseminar", entenda-se "dissipar"...

Anônimo disse...

Sobre TRI:
A questão de TRI que caiu no TPS de 2007 era resolvida com a simples interpretação de texto. Não era necessário saber a diferença entre as teorias. Muita gente que não sabe nada de TRI - como este anônimo aqui - acertou a questão porque fez uma leitura correta.
Esta é mais uma das razões para o corte altíssimo no TPS 2007, sem dúvida.
Mas é claro: o fato desta questão ter sido boçal e ter nivelado por baixo os candidatos não implica que o TPS 2008 seguirá a mesma linha. A hipótese de cair questões mais rigorosas de TRI ano que vem é perfeitamente possível.

M-A-C disse...

Melhor não contar com a sorte.
E pelo amor de deus, eu indiquei um manual. A bibligorafia indica obras completas sobre o tem, cássicos originais.
Não dá pra ter preguiça de ler 300 páginas de um mnaul tendo 5 meses pela frente! Não contem com a sorte, smepre é mlhor estudar o máximo possível de tudo. (ênfase em possível).

luana disse...

Olá! Essa lista de livros continua atual? Obrigada!