Seguidores

sábado, 29 de dezembro de 2007

COMENTÁRIOS SOBRE O EDITAL DO CACD 2008

O CACD 2008 veio cheio de suspresas. Embora essa frase pareça anúncio publicitário, é a que melhor reflete a verdade. Todas as etapas têm uma novidade, mais ou menos radical, e, no geral, o concurso mudou drasticamente, na minha modesta opinião. A partir de agora, não é mais possível fazer prognósticos, mas é possível conjecturar, que é o objetivo deste texto.

TPS

A única mudança formal no TPS 2008 foi a inclusão de geografia, direito e economia. Foram mantidas as 65 questões e a mistura de itens e de questões de alternativa múltipla. A aparência de continuidade, entretanto, é falsa.

Com 7 matérias em vez de 4 no TPS, certamente alguma das antigas matérias deve perder peso relativo na prova ou, quem sabe, aumentar seu peso relativo. Certamente a prova terá menos itens de história e de PI, mas qual será o peso das matérias que retornam ao TPS? Não se sabe...
Qualquer coisa pode acontecer. O estudo fica muito mais difícil, pois o CACD tem um programa imenso e qualquer tema, qualquer um, pode cair ou não na prova.

Qual será o grau de aprofundamento, qual será o nível de exigência em cada matéria, qual matéria vai pesar mais? Tenho mais perguntas do que respostas, mas faço uma aposta: português manterá seu peso relativo ou pode aumentá-lo, se preservar os 20 pontos dos últimos dois concursos. Eu aposto na manutenção de português como matéria de maior peso relativo.

SEGUNDA FASE

Felizmente, não houve mudanças drásticas nesta etapa. Manteve-se a prova em data posterior ao TPS, mantiveram-se as questões de interpretação e manteve-se a indicação de bibliografia obrigatória.

As mudanças na bibliografia foram muito boas. A inclusão de Drumond a entrada de São Bernardo, no lugar de Memórias do Cárcere, são bem vindas. A inclusão de Visão do Paraíso é interessantíssima para que os candidatos conheçam mais sobre os clássicos do pensamento brasileiro.

As leituras serão ótimas, acreditem. Pra quem não tiver tempo ou não se arriscar, vou resenhar cada uma das obras aqui no blog até dia 30 de março.

TERCEIRA FASE

É nesta fase que estão as mudanças mais drásticas, que deixam o resultado final imprevisível. A redução de 5 para quatro questões na prova discursiva é o inferno para o candidato (quem já passou por isso sabe como é). Qualquer tema pode ser selecionado, qualquer um, dentro do programa imenso do concurso. Se cair uma questão sobre a qual você não tenha mínima idéia da resposta, o que sempre acontece, o dano causado por um provável mal desempenho será muito maior. Para piorar, haverá 2 questões de 30 pontos e 2 de 20 pontos. E se a questão complicada for de 30 pontos?

A prova de inglês teve retirados o resumo e os exercícios textuais. Apenas redação, tradução e versão permanecem, com pontuações de respectivamente 50, 25 e 25 pontos. A prova exigirá muito mais de gramática e menos de "sorte". Acredito que a média da prova deva subir e que se torne mais difícil zerar a parte de gramática da redação (aposto num aumento de 20 para 25 pontos de gramática) e, assim, a redação inteira.

A mudança que mais me surpreendeu, entretanto, foi a redução da nota mínima nesta etapa. No CACD 2008 será aprovado na terceira fase o candidato que obtiver 300 pontos de 600 pontos, ou seja, 50%! Foram-se por água abaixo os 60% dos últimos dois concursos. Pode parecer que ficou mais fácil, mas associadas às outras mudanças me parece que a redução percentagem indica que as bancas serão muito mais exigentes na correção.

Meus caros, o momento é de estudar até os olhos sangrarem e o cérebro derreter. A redução de questões vai exigir dos candidatos conhecimento amplo de todas as matérias e capacidade de relacionar tais conhecimentos de forma muito precisa.

QUARTA FASE

Todos acham que não fará diferença, mas fará. A classificação final no concurso vai contar na escolha dos seus estágios na SERE, na sua primeira gratificação por desempenho, na sua futura lotação e, mais importante de tudo, na primeira promoção. Não esqueçam: a ordem de classificação é a ordem de antiguidade. Escolham bem a segunda língua e procurem ter um excelente desempenho, pode fazer toda a diferença para o seu futuro nos próximos 3 ou 4 anos.


Bons estudos, meu caros.

6 comentários:

Anônimo disse...

Prezados M-A-C e demais,

Parabéns pela iniciativa do blog. É, certamente, instrumento bastante útil para compor nossas diretrizes de estudo para o CACD.

Gostaria, se possível, de obter mais informações quanto à utilização futura dos resultados do concurso - que você, M-A-C, mencionou no parágrafo que trata da Quarta Fase. Acredito que seriam informações de grande valia para todos os leitores do blog, visto que não há muitos dados a respeito na internet.

Obrigado e um ótimo 2008 para todos!

Anônimo disse...

Excelente texto, nos ajuda muito a continuar estudando.

Renan D. Baptista disse...

Amigos,

há pouco descobri o concurso. Diga-me uma coisa: é possível passar com um ano de uma intensa preparação. Vou começar a estudar este ano. Muitos dizem que o concurso é muito difícil e a bibliografia é intensa. Mas penso diferente. Estudei algumas das provas de concursos anteriores e notei que as perguntas são objetivas, sem firulas. Penso que deve-se estudar muito, como qualquer vestibular bem concorrido.
Gostei muito das dicas e as seguirei durante o meu estudo.

Renan Dias Baptista

Anônimo disse...

Prezado Maurício,
O blog está cada vez melhor, parabéns.
Penso que as pessoas estão cada vez mais preocupadas e ansiosas com o concurso. Todo mundo que conheço tá pegando pesado: pedindo redução de carga horária no trabalho, estudando à noite, investindo em revisionais de cursinhos. A cada ano que passa, o cargo de diplomata se torna mais ambicionado, e a competição do concurso se acirra a níveis impensáveis.
Eu também estou preocupado, e estudando. Mas tentando manter a calma.

jjj disse...

Acrescento que minha principal dificuldade tem sido estudar Economia. Você analisou o programa de Economia em detalhes? Rapaz, pegaram pesado. Aumentaram o conteúdo de microeconomia, que agora está gigantesco.
Tenho alguns problemas no estudo da matéria, que é bastante penoso. Demoro muito a ler os capítulos do Mankiw. Além disso, não consigo estudar Economia o dia inteiro - coisa que consigo fazer com outras matérias.
Minha aprovação no TPS está condicionada a um bom resultado em Economia, minha maior fragilidade.

Márcio Strapação disse...

Prezado Maurício,

Tudo bem? Sou graduado em Letras pela Unisinos, São Leopoldo, e acabei de ser selecionado para o mestrado em Letras na PUC e na UFRGS. Cada vez mais me interesso pela carreira diplomática e gostaria de informações sobre seu método de estudo. Também fiz minha formação em escolas públicas e cursei minha graduação trabalhando paralelamente em um posto de gasolina. Qualquer informação sobre isso, seria de grande ajuda. Obrigado.