Seguidores

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

DICAS DE HISTÓRIA DO BRASIL PARA O TPS

Atendendo a pedidos, esta semana iniciarei uma série de comentários sobre as provas, matéria por matéria e fase por fase. Não tenho a menor pretensão de ser exaustivo nas minhas análises e indicações, muito menos acredito que sejam as únicas corretas. Não estou, de maneira nenhuma, publicando receitas prontas para a aprovação no concurso. O que pretendo é contribuir para que os interessados possam evitar erros recorrentes na condução do processo de preparação sem que precisem aprender com eles depois de perderem um ou dois anos de dedicação.

Começaremos hoje pela prova de história do Brasil no TPS.

O programa de HB é extenso, bem como a bibliografia indicada. É importante atentar para o fato de que boa parte da bibliografia de HB, principalmente os tópicos referentes à politica externa brasileira, coincidem com a bibliografia de política internacional. Não há como ler tudo, mas é possível otimizar o rendimento com estudo com algumas leituras imprescindíveis. Vamos a elas.

Amado Cervo e Clodoaldo Bueno, História da Política Exterior do Brasil: imprescindível. Deve ser lido quantas vezes forem necessárias e decorado nos fatos e nas interpretações. Não adianta nada contestar gabarito do CESPE discordando de Amado Cervo. Leia, decore, assimile, consolide. Não tem erro.

Bóris Fausto, História do Brasil: também é imprescindível. Ao contrário do História Concisa, este manual é o mais completo, didático e bem direcionado para o conhecimento necessário de HB. Apesar de fazer uma boa cobertura de todos os períodos de HB, o "domingão da faustão" é excelente para o período republicano, nem tanto para o império e a colônia. Deve ser lido quantas vezes forem necessárias, decorado e assimilado em todos os aspectos. Os tópicos de HB não referentes à PEB são baseados em Bóris Fausto, não vai adiantar teimar com a banca depois...

As duas primeiras obras citadas, se bem lidas e assimiladas, podem garantir um TPS seguro em HB. Entretanto, meus caros, como eu não sou o tipo que conta com a sorte, vou indicar umas leiturinhas complementares que podem ajudar consolidar um ou outro aspecto do programa que não tenha ficado claro na leitura das duas bíblias de HB no TPS. Vamos a elas:

Colônia
Charles Boxer, a Idade de Ouro do Brasil: incomparável, aprofunda aspectos fundamentais do período.

Caio Prado Júnior, Formação do Brasil Contenporâneo: nenhuma outra obra apresenta uma visão tão abragente dos temas que envolvem a colônia, embora não se restrinja a tal período.
Na dúvida, é melhor ler três vezes!

Império
Maria Yeda Linhares, História Geral do Brasil: incomparável na abrangência, detalhamento e didática na análise do período. Aborda diversos aspectos que passam batidos em Bóris Fausto.

História da Política Externa Brasileira
Paulo Vizentini, Relações Internacionais do Brasil-46/64 e A Política Exterior dos Governos Militares: sem dúvidas, esses livros contribuem significativamente para sanar muitas dúvidas sobre o período do pós-guerra. Para o TPS, são mais que suficientes.

Agora vamos as tópicos que não podem ser negligenciados no "decoreba" para um bom TPS:

-Revoltas Coloniais e economia da colônia;
-Período Joanino, processo de independência;
-Sistema de tratados do Primeiro Reinado;
-Revoltas na Regência;
-Política de Limites (em todos os períodos);
-Era Vargas (decorar tudo, ou tudo o que conseguir);
-Regimes militares.

A prova de HB do CESPE é bastante factual, o ideal é decorar as cronologias. Mesmo questões interpretativas podem exigir o conhecimento factual e/ou cronológico. A prova de 2007, para ficarmos num exemplo mais próximo, teve muitas questões do tipo. Se o candidato não soubesse que o tratado de 1851 foi com o Peru, não com a Bolívia, perderia uma questão... E muita que perdeu uma questão no TPS dançou...

OBS: há obras que não citei porque não considero imprescindíveis para o TPS e serão debatidas quando chegarmos na discussão sobre a terceira fase. ;-)

Por último, um alerta: não pense que somente porque um ou outro tópico não apareceu nas duas últimas provas ele não aparecerá na próxima. É melhor estar preparado para qualquer questão. Com a disputa pela vaga no TPS cada vez mais acirrada, é sempre melhor nivelar por cima.

6 comentários:

Commonplace Book disse...

Como sempre, adorei o seu post. Muito obrigada pelas dicas. beijos, Isabel

Fábio disse...

Parabéns pelo post, gostei muito! Você recomendaria a leitura destes livros em alguma ordem?

Anônimo disse...

Para história do Brasil, eu concordo em parte com as observações do Maurício.

Creio que HB é uma espécie de "buraco sem fundo", matéria muito difícil de dominar. Entretanto, é possível, embora nada fácil, dominar o conteúdo programático que cai no TPS e na Terceira fase. Apesar do conteúdo ser bastante amplo e da prova pedir conhecimento detalhado, história do Brasil é uma das matérias mais divertidas de se estudar. E, convenhamos, estudar HB é mais fácil que estudar Economia, Direito ou línguas.

Para o TPS, os livros essenciais são o Fausto e o Cervo. Poucas questões houve nos últimos TPS cuja complexidade era tamanha que não fosse capaz de ser resolvida por estes dois livros. Estes sim são livros que valem a pena ser fichados.

Para a segunda fase, são requeridos livros que podem, indiretamente, ajudar em HB: "Casa Grande e Senzala", "O Povo Brasileiro" e "Raízes do Brasil". Outro clássico - este sim, fundamental - é o "Formação Econômica do Brasil", de Celso Furtado. "Formação do Brasil Contemporâneo" e "História Econômica do Brasil", ambos de Caio Prado Júnior, são livros excelentes e muito próximos ao senso comum teórico da banca de História. Mas acho que a leitura do "História Econômica" dispensa a do "Formação Econômica", visto que o último está contido no primeiro - trata apenas de colônia enquanto o outro vai até a república.

Os livros de José Murilo de Carvalho também são excelentes. Vale a pena ler - ainda que seja mais importantes para a terceira fase do que para o TPS - "Construção da Ordem/ Teatro das Sombras". Não creio que "Formação das Almas" seja um livro essencial para o CACD, pois é um ponto de vista muito específico do autor. Na minha opinião, mais úteis são "Cidadania no Brasil" e "D. Pedro II - Ser ou não ser", apesar de não-bibliografados.

Há outras obras que são importantes por consolidarem o conhecimento do programa ou por tratarem de assuntos "períféricos" ou "laterais", porém relevantes. São alguns deles: "Trajetória Política do Brasil"; "Maldita Guerra - nova história da Guerra do Paraguai (sem dúvida um dos melhores livros da bibliografia)"; "O Corpo da Pátria (essencial para quem, como eu, tem dificuldades com os tratados de limites)"; "A Invenção Repúblicana"; "Rio Branco" - Biografia de Álvaro Lins.

Em relação à história da política externa brasileira, há obras importantes para aprofundamento. Gosto muito dos livros do Vizentini (´"Política Externa 1945-1964" e "Política Externa do Regime Militar") e, principalmente, da obra "60 anos de polítca externa" - (o primeiro volume vale a pena ser lido).

M-A-C disse...

60 anos de política externa deve ser lido conmpleto. Diria que o volume 2 está ultrpassado, mas os outros 3 são históricos e temáticos. Essenciais pra terceira fase. Por último, Formação do Brasil Contemporâneo nãoe stá contido compleyamente na História Economômica do Brasil, pois o FBC aborda temáticas para muito além da economia.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dionir disse...

parabens pelo blog...
so gostaria de saber se voce tambem recomendaria a leitura do "diplomacy" de herry kissinger